Fechar formulário TopMine - Porto Alegre

Construção civil sofrerá retração com reajuste nas tarifas de luz

Construção civil sofrerá retração com reajuste nas tarifas de luz

agabritas-energia (2)Os reajustes das tarifas de energia elétrica, que passaram a valer em janeiro de 2015, serão sentidos pela construção civil a partir de maio. Essa é a previsão do presidente do Sindicato da Indústria da Mineração de Brita, Areia e Saibro do Estado do RS (Sindibritas) e da Associação Gaúcha dos Produtores de Brita, Areia e Saibro (Agabritas), Pedro Antônio Reginato. A conta de luz de janeiro da empresa já chegou 20% mais alta que a do mês anterior, informa o presidente. – Vai refletir no preço do produto final, seja areia, brita, cimento ou asfalto. Em maio o consumidor já vai sentir o reajuste dos preços desses itens, que ficará em torno de 15%. O setor de construção civil, que já está desacelerado, sofrerá um impacto ainda maior – anuncia. Além da conta de luz, as mineradoras – bem como outras empresas que usam grande quantidade de energia elétrica – têm de pagar pelo contrato de demanda. Este, conforme Reginato, teve o valor acrescido em 15,37% em relação a dezembro de 2014. O custo com energia elétrica no setor de produção de areia, cimento, brita e asfalto representa, em média, 10% dos custos. Reginato diz que 2015 já está sendo um ano preocupante e as expectativas são pessimistas. – Já descartamos investimentos em novas áreas de extração e aquisição de equipamentos. É um momento de muita cautela, pois estamos diante de um cenário de redução de horas e demissões na indústria. As construtoras já não investem em tantos empreendimentos, pois está começando a sobrar apartamentos – analisa. Como funciona O aumento da conta de luz passou a ser indicado pelo sistema de bandeiras tarifárias – que conta com as cores verde, amarela e vermelha – indicando as condições de geração de energia no país. Em janeiro, foi anunciada a bandeira vermelha, o que significa um acréscimo de R$ 3,00 a cada 100 quilowatt-hora (kWh).